13 de jul de 2015

O adeus que ninguém gosta de dar



Em meio a tantos momentos bons, há um extremamente cruel que a vida nos obriga a passar, e nós só entendemos quando crescemos um pouquinho: o adeus. Conforme o tempo passa e a vida segue, pessoas maravilhosas e pessoas não tão boas sempre entram na nossa vida e fazem parte da nossa história. O problema é que nem sempre a caminhada compartilhada chega até o fim da vida. Às vezes uma pessoa pega um desvio, um contorno ou vai pra outra mão e seguir outra direção. E a última hora, o ultimo encontro e o último abraço fazem parte desse momento cruel que é dizer adeus.

Quando percebemos que esse adeus acontece - já que não é sempre que sabemos - logo após bate uma solidão inexplicável. Um aperto no peito, como se o coração que antes estava cheio começasse a murchar. Mas nesse sentimento aprendemos também a valorizar as lembranças. Claro que os olhos enchem de lágrimas pela saudade, mas na boca tem um sorriso pela felicidade e alívio de ter guardado na memória vários momentos bons.


Quando alguém vai embora, percebemos que não vale a pena deixar que as coisas ruins façam parte da rotina; que não vale a pena viver "de mau" por motivos fúteis... As pessoas não são pra sempre, por isso não podemos deixar sentimentos ruins serem. Além do mais, como eu disse lá em cima, não é sempre que temos oportunidade de dar um desfecho em uma boa história, uma ótima caminhada. Ver a pessoa indo, e mesmo com a vontade de chorar, poder dizer que valeu totalmente a pena essa caminhada a dois.


A vida ensina a valorizar os momentos bons, eternizar lembranças, amar intensamente quem quer que for, viver momentos e experiências e conhecer mais e mais do mundo, das pessoas e dos sentimentos. Não ignore essa professora, ela ensina bem e várias vezes se for preciso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário