9 de dez de 2015

O que melhorou na minha vida quando me converti #1


Há um tempo, li na internet uma postagem que era mais ou menos O que melhorou na minha vida quando me tornei ateu. A princípio fiquei horrorizada, mas já era de se esperar. Li a postagem de cabo à rabo, e com isso eu pude perceber que a situação em que este rapaz estava quando escreveu esta postagem, era exatamente como minha vida estava antes da minha conversão.
Não comentei a publicação, ou xinguei, ou tentei responder cada argumento dele. Só passei a orar por ele, mas esta postagem me inspirou a fazer a anti: o que melhorou na minha vida quando me converti.
Pra quem ainda não conhece a minha história, clica aqui e depois volta pra cá! PS: Comecei a escrever e percebi que ia ficar muito gigante pra uma postagem só. Então dividi os tópicos e vou fazer várias postagens com 3 tópicos cada.

Valorização


Enquanto estava afastada da presença de Deus, eu me convencia de um papel e algumas pessoas até acreditavam. Eu não cresci dentro dos padrões, sempre fui gordinha e por um tempo isso me incomodou muito. Depois eu "desisti" de ser bonita, e aí coloquei a máscara de "amor próprio". Fui até ícone de inspiração para auto aceitação, mas havia momentos que eu me sentia um nada. Por causa da falta de valorização, eu pra me sentir melhor, precisava me sentir desejada. Pra isso eu era vulgar. Por causa disso eu cometi muitos erros dos quais me arrependo amargamente.


Quando me converti e estudando a Palavra de Deus, percebi que alguém morreu por minha causa. Se eu não conseguia ver valor em mim, Jesus via. E ele pagou o preço para que eu pudesse ter a oportunidade de morar com ele no Reino dos Céus. Viu tanto valor que sabia que eu, por si só não conseguiria alcançar minha herança. Quando eu percebi que Jesus tinha pago um preço caro por mim, pude ver que eu sou preciosa. Aprendi que eu sou filha de um Rei. Logo sou princesa, e o meu corpo não é pra brincadeiras.

Influências


Essa parte é complicada pra mim, pois eu nunca publiquei nada sobre isso, mas se eu estou disposta a dar testemunho, que seja! Quando estava perdida eu era facilmente influenciável. Não porque era cabeça fraca ou porque era inocente, mas porque eu queria fazer parte de algo que eu sozinha não conseguiria entrar. Já sabem que eu não cresci nos padrões, e na verdade, cresci ouvindo que minhas amigas eram bonitas e eu não. Conforme fomos crescendo, fui percebendo que os garotos queriam ficar com elas, não comigo e isso pra mim significava muito. Quando me deparei com essa realidade, minha autoestima despencou. Passei então a querer ser como elas eram. Fazia as coisas que elas faziam, mesmo que pra mim parecia chato. Eu bebia, ia pra festas, inclusive brigávamos muito porque elas queriam que eu fosse e eu não tinha saco pra ir, passei a aceitar ficar com garotos... foi uma época bem negra da minha vida.
Cristã parece que os papeis se inverteram. Ao invés de me influenciar nas outras pessoas para moldar um eu, deixei que Deus moldasse meu eu, e eu fosse influência. Foi uma mudança linda e perceptível pra mim. Passei a procurar ter uma vida reta e ajudar aquelas estão neste caminho. Ser pra outras garotas e garotos o que minhas amigas eram pra mim. Mas ao invés de levá-los (as) pros caminhos da perdição, tento motivar a santidade. E lembrar também que essas pessoas têm valor, mostrar que Jesus pagou um preço caro.

Plenitude


Eu não me conhecia. Já que não tinha valor e nunca era eu mesma, eu não tinha uma identidade. Não era plena quanto à mim, ou meu futuro, ou o que eu queria fazer. Estava perdida dentro de mim mesma. Por mais que eu tentasse tomar jeito, fazer algo da vida, eu nunca acabava porque não me sentia motivada à isso. E aí foram cursos, academia, planos, metas, etc. Eu queria só passar aquele dia sem me odiar, e tentar no dia seguinte fazer o mesmo.
Ri quando pensei nisso porque hoje a coisa é totalmente o contrário. Eu tenho tanta certeza daquilo que eu quero fazer e ser que chega a ser irritante, porque toda a minha vida gira em torno desses objetivos. Em grande parte, espirituais. Então eu batalho todos os dias, leio a bíblia, busco respostas, tiro dúvidas com pessoas nas quais eu confio, oro e a cada vez que eu alcanço um objetivo, é mais uma vitória.

Eu tenho certeza que essas postagens serão bem pessoais. Não posso dizer que não me comovi escrevendo essa aqui, porque lembrar do quanto eu era perdida, do quanto me senti sozinha, incerta e sem valor é difícil. Mas se Deus quiser, essa e as outras postagens poderão ajudar alguém. E sabem quando eu disse que tenho objetivos? Esse é um deles.
Fiquem com Deus, na paz e na graça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário